Granilite e marmorite: os queridinhos da arquitetura

3 minutos para ler

É claro que você conhece o mármore e o granito, duas pedras nobres, amplamente utilizadas tanto na arquitetura comercial quanto na residencial. Mas e se você pudesse utilizar um material bonito, versátil, durável e muito mais barato em seu projeto?

E é aí que entram o granilite e o marmorite! Conhece esses materiais? Então confira este artigo completo e saiba mais!

O que são?

O granilite e o marmorite são pisos monolíticos, ou seja, não possuem muitas juntas, como ocorre com pisos frios e cerâmicos. Eles assemelham-se ao cimento queimado, porém com muito mais resistência.

Além disso, esses pisos têm uma aparência mais versátil que o cimento queimado, pois sua coloração e padrão varia de acordo com os minerais que o compõem. São feitos de cimento, areia, água e partículas de minerais resistentes, como o quartzo, mármore, granito etc.

Como usar?

Como a maioria dos pisos de pedra, o marmorite e o granilite ficam ótimos em ambientes externos — garagens, entradas de condomínios, escadas etc., por não serem escorregadios. Também podem ser polidos e colocados em ambientes internos.

Tanto no marmorite quanto no granilite, as partículas minerais possuem diferentes tamanhos e diferentes cores. Apesar disso, seu acabamento é uniforme, sendo esse um dos principais atrativos do material. Além de pisos, podem ser utilizados em pias, bancadas e até mesmo no acabamento de paredes. Sua versatilidade é enorme.

Quais são os tipos?

O granilite e marmorite podem ser polidos ou fulgê, ou seja, quando o acabamento é mais natural, preservando certa textura. É essa textura que dá a capacidade antiderrapante ao material, portanto, o acabamento fulgê é ideal para áreas externas.

Já o granilite polido recebe um tratamento que deixa a sua superfície lisa e, portanto, mais escorregadia. É importante saber que ess acabamento exige impermeabilização, afinal, o material é composto em sua maior parte por cimento.

Como é a aplicação?

Existem duas formas de aplicar granilite e marmorite: comprando placas prontas, ou assentando o piso. No segundo caso, é preciso contar com um profissional para criar o granilite ou marmorite por meio de “caquinhos” de pedras, somando a eles a argamassa. Esse procedimento deve ser feito sobre um contrapiso perfeitamente plano.

A aplicação é lenta, podendo levar até doze dias para uma área de 60m². Caso o acabamento seja polido, pode-se levar mais oito dias nesta etapa. Comprar as placas prontas é uma alternativa mais rápida, mas não necessariamente mais barata.

Quais são os cuidados?

Não é difícil limpar os pisos de granilite e marmorite: use água e sabão neutro. É muito importante evitar produtos abrasivos como cloro, água oxigenada etc., pois desgastam o concreto.

Para pisos (ou bancadas e pias) com acabamento polido, é importante aplicar cera regularmente, para que preservem o brilho e não se desgastem. Já áreas com o acabamento fulgê não podem ser lavadas com máquinas de pressão, que também causam desgaste ao material.

O granilite e o marmorite foram grandes tendências nos anos 40, devido à sua versatilidade, durabilidade e preço mais acessível, emulando bem a aparência elegante das pedras nobres. Como as tendências são cíclicas, eles já se consolidaram novamente em casas, prédios e imóveis comerciais.

O que você achou sobre esses materiais? Quer aplicar em seus projetos? Conta para a gente nos comentários!

ar condicionadoPowered by Rock Convert
ar condicionado lgPowered by Rock Convert

Posts Relacionados

Você também pode gostar

Deixe um comentário