Afinal, quais as formas de fazer monitoramento da qualidade do ar?

4 minutos para ler

Apesar de não ser visível, o ar que respiramos carrega muitos elementos que podem ser nocivos a curto, médio e longo prazo. Com o aumento de fontes poluentes — automóveis, indústrias e outros —, é cada vez mais necessário realizar um monitoramento da qualidade do ar mais constante.

Quando o oxigênio está impróprio, as mudanças no organismo começam a aparecer e transformam a rotina da população. Entre os sintomas, estão garganta seca, tosse e um ardor na respiração. Porém, alguns grupos sofrem ainda mais as consequências da poluição. São eles: crianças, idosos e pessoas com problemas respiratórios e cardíacos.

Se você ainda não sabe por que monitorar o ar e de quais maneiras isso é feito, acompanhe a leitura para entender melhor sobre o assunto!

O que é o monitoramento da qualidade do ar?

Para identificar se o ar está adequado e se não prejudicará a saúde da população e o ecossistema, é realizada a aferição da quantidade de partículas poluentes. Ela é analisada utilizando vários fatores, dentre os quais estão a topografia, a magnitude das emissões na região e as condições meteorológicas no local — o que ajuda a dispersar os componentes.

Há uma série de maneiras de fazer o monitoramento, em que as ferramentas medem o Índice de Qualidade do Ar (AQI) de pontos diversos do globo. A medição é em uma escala que vai de 0 a mais de 300, em que:

  • bom: de 0 a 50;
  • moderada: de 51 a 100;
  • prejudicial para grupos sensíveis: de 101 a 150;
  • prejudicial: de 151 a 200;
  • muito prejudicial: de 201 a 300;
  • perigoso: acima de 300.

Por que é importante fazer a medição?

Os dados coletados têm grande valor para alertar a população de determinada região dos riscos presentes. Dessa maneira, os cuidados devem ser maiores, principalmente quando se trata dos grupos de risco. Uma excelente forma de melhorar o ar em lugares fechados é utilizando purificadores e umidificadores de ar, o que ajuda na diminuição dos impactos da poluição na saúde.

Além disso, fazer a manutenção preventiva do ar-condicionado e dos demais aparelhos é essencial. O filtro retém as impurezas e é ele que impede que a sujeira seja espalhada pelo ambiente, deixando o ar mais limpo e com uma qualidade melhor.

Quais as principais formas de verificação?

Utilização de estações de monitoramento

Captando dados detalhados com tecnologia de ponta, as estações de monitoramento são responsáveis pelas informações sobre as emissões de poluentes na atmosfera. Por serem usadas tecnologias avançadas, elas conseguem examinar com mais precisão os componentes do ar.

Uso de sensores

Basta dar uma rápida pesquisada para encontrar muitos projetos que estão sendo desenvolvidos para monitorar o ar de forma mais prática, sem depender de grandes estações de monitoramento. Esses protótipos não são tão precisos quanto os centros especializados, mas ajudarão para que os habitantes comuns possam ter mais detalhes do ar respirado.

Medição de monóxido de carbono

Gás incolor que pode causar intoxicação quando presente em altos níveis, o monóxido de carbono é emitido por causas naturais e também provocadas pelo homem. A medição desse elemento é essencial e uma das mais importantes para o controle da qualidade do ar.

É necessário ressaltar que se deve ter cuidado com aquecedores e outras fontes de calor, pois eles também liberam monóxido de carbono.

Há novos modelos e métodos avançados nos centros de monitoramento e, até mesmo, técnicas com as quais a população realiza a medição por conta própria.

O avanço tecnológico constante tem apresentado novas maneiras de se fazer o monitoramento da qualidade do ar. Portanto, está ficando cada vez mais fácil identificar os problemas e tomar os devidos cuidados com a saúde.

Esta publicação foi útil? Você quer mais conteúdos como este? Siga-nos nas redes sociais e acompanhe as próximas postagens. Estamos no Facebook, no YouTube, no Twitter e no Instagram.

 

Powered by Rock Convert

Posts Relacionados

Você também pode gostar

Deixe um comentário